× Capa Textos Áudios Perfil Livro de Visitas Contato
SOLANO BRUM,O PÁSSARO CANTOR
AMOR PERFEITO
Textos


 A JANELA, O SONETO E ELA

                                      Solano Brum

Enquanto espero, - debruçado na janela,
Junto, uma esperança ao pobre coração,
Assistindo o sol, - na tonalidade amarela,
Montar na tarde, sua última encenação...

Enquanto espero – E já brotam semanas...
Fazem-me visitas, estrelas enciumadas,
Raios do luar, vazados pelas venezianas
Sob cama e lençol, até horas avançadas!

Às vezes, diante desse quadro exposto,
Meu soneto é sem vida; é quase nada;
A caneta, emudecida a nada mais apela!

Mas, tudo que vejo, por fim, faço gosto...
Há esperança em minh’alma apaixonada;
Verde, na moldura das bandas da janela!

                                    = = =

Poesia enviado ao Poeta MARIO ROBERTO GUIMRÃES, para o Soneto  de sua Página, em homenagem ao Poeta Mario de Andrade.

 TROVA  (Esperando...)
                  Solano Brum
Continuo, ansioso, esperando,
Nesta página, por tua visita.
Não tens dó? Coração sangrando

Me diz: Espera... Não desista!
                = = = = =

Poetisa, como acreditar não ser Poesia? Ora, tudo que brota de nossa alma Poética, é na verdade, uma poesia e aqui está a comprovação:
 
Cristina Gaspar
'Janela de minh'alma
Esperança d'um amor
Soneto pleno de calma
Fé, para aplacar a dor.

          = = =
Obrigado
 
 


 
Solano Brum
Enviado por Solano Brum em 27/11/2020
Alterado em 30/11/2020
Comentários