SOLANO BRUM,O PÁSSARO  CANTOR
AMOR PERFEITO
CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Perfil
Eu esrevo desde os meus treze anos, por aí. Minha avó não gostava porque eu gastava as flhas dos meus cadernos com bobagens - dizia ela. Lia muito. Todos os versos que encontrava e então comecei a escrever os meus poemas simples, rimados, e sonhei um dia com uma Musa. Pronto. Comecei a receber mensagens como "INSTANTÂNEOS" que me chegavam inesperadamente e eu corria a escrevê-los, como os faço até hoje. Não sei se sou Poeta, mas, gosto do que escrevo - São meus filhos, portanto, não posso eximí-los de minha vida. Amo-os e os amarei para sempre.
Tenho setenta e quatro anos e me perguntava, com tantos poemas (e contos, num total de dezenove dos quais muito me orgulho) escritos: Para quem eu deixaria tantas obras, se não posso editá-las? Ai conheci o "Recanto das Letras" o que me deixou cheio de orgulho.
Parabéns a todos que estão nesse "Recanto"
SOLANO BRUM 
FRAGMENTOS - I -
Quando eu partir,
(porque todos partirão um dia)
Há de perguntar,
quem, porventura, ler meus versos:
Para qual mulher
esse louco poeta, em vida,
fez tantas poesias?
      = = = = =